Blog - CFL Imóveis
Nenhum comentário

Dicas de onde comer e beber bem em Florianópolis

De malas prontas para a Ilha da Magia? Nosso colunista indica bons endereços para matar a fome e tomar bons drinques.

A cidade possui uma beleza singular em razão das lindas praias que são envoltas por vegetações da Mata Atlântica preservada – engana-se quem afirma (e já ouvi isso) que Florianópolis possui apenas os famigerados “lugares para turistas”.

gastronomia de Florianópolis tem forte inspiração portuguesa em razão da colonização açoriana iniciada em 1746 – a Ilha de Santa Catarina tinha uma localização importante para os navegantes – e é focada em peixes e frutos do mar. Há também toques indígenas, o que se verifica em temperos e no uso de farinhas.

O resultado da junção dessas culturas é uma comida bem-feita e “com gosto”, presente em ambientes simples e bem servida. Exemplos? Pastel de berbigão, bolinhos e casquinha de siri, peixes e frutos do mar nos mais variados preparos e, é claro, ostras também servidas de diversas maneiras.

Portanto, aproveitando que nesta época Florianópolis é destino certo de muitas pessoas, indico a seguir 6 lugares para comer e beber bem na Ilha da Magia. Espero que provem e gostem.

Mar Massas
Fundado em 1989 por Ana Rita Benetti, o charmoso Mar Massas serve ótima comida e tem uma linda vista para a Lagoa da Conceição e para o mar de Jurerê.

Focado em comida italiana (que, ao contrário do que o nome induz a pensar, trabalha bem também com carnes), os destaques ficam com o Polpo Oro i Limone (polvo grelhado com alho e limão), Spaghetti Alle Vongole, Tortelli Allelluia (massa recheada com moranga e especiarias, molho pesto e camarões) e Lasagna di Carne e Funghi.

Rua Laurindo Januário da Silveira, 3.843, Morro do Badejo, Lagoa da Conceição, Florianópolis-SC.

Ostradamus
Ouso dizer que o Ostradamus é o restaurante mais famoso de Florianópolis e, diariamente, é a escolha de inúmeras pessoas (incluindo turistas como este que vos escreve). Tem à frente Jaime Barcelos, que se inspirou em viagens gastronômicas para Portugal e Canadá.

Embora o nome revele que as ostras são o ingrediente mais disputado no Ostradamus, o restaurante trabalha muito bem com pescados, polvo e camarão. Além das ostras que aparecem em diversas formas (de “in natura” à gratinada), há o Polvo da Andréia (com pimentões, e batatas ao murro), a Sinfonia dos Náufragos (espeto de camarão assado na brasa e servido com molho de ervas) e a Moqueca de Peixe.

Rodovia Baldicero Filomeno, 7.640, Freguesia do Ribeirão da Ilha, Florianópolis-SC.

The Wine Pub
Fundado por Fernando Araújo e Eduardo Araújo (pai e filho, respectivamente), The Wine Pub nasceu do hábito de Eduardo de frequentar Wine Bars para degustar e estudar, enquanto estudava na Court of Master Sommelier, na Califórnia, Estados Unidos.

Inaugurado em 2017, o The Wine Pub trabalha com cerca de 24 rótulos diários servidos em taça no sistema Wine Station, além de mais de 200 garrafas disponíveis nas prateleiras. A premissa é trabalhar centenas de rótulos que vão dos clássicos aos inusitados, vindos de pequenos produtores.

O sucesso é tanto que há unidades na Praia Brava de Itajaí, e em Gramado, no Rio Grande do Sul.

Rodovia SC-401, 4.150, Saco Grande, Florianópolis-SC.

Rosso Restaurante
Fundado por Alysson Muller (que também está à frente de outros restaurantes de destaque como Artusi e D.O. Pescador), não à toa conhecido como o “rei do polvo”, o Rosso Restaurante é focado em cozinha regional e também tem uma deslumbrante vista para o mar catarinense.

No cardápio, destacam-se o bolinho de garoupa (cremoso e crocante, como descrito no cardápio), a maionese de camarão ou polvo, o arroz de polvo e linguiça Blumenau e o polvo grelhado dos Açores (servido com abobrinha, batata ao murro e alho confit).

Rodovia Gilson da Costa Xavier, 201, Santo Antonio de Lisboa, Florianópolis-SC.

Marisqueira Sintra
Marisqueira Sintra é um restaurante focado em comida portuguesa e tem como fornecedores pescadores da região que atendem exclusivamente o local com peixes e frutos do mar fresquíssimos. Nele, é possível sentar-se à beira do mar, do outro lado da rua onde fica o restaurante, para comer ao ar livre. Mas se a escolha for no salão, vale apreciar os painéis de cerâmica portuguesa.

No cardápio, brilham bolinho de bacalhau, sardinhas fritas, pastéis de bacalhau, camarões à Guilho (refogados em azeite com alho e pimenta), diversas opções com bacalhau e arroz de polvo.

Rua Quinze de Novembro, 147, Santo Antonio de Lisboa, Florianópolis-SC.

Restaurante do Gugu
O tradicional Restaurante do Gugu, aberto em 1990, é mais uma ótima opção para quem quer comer frutos do mar em Florianópolis. Trata-se de um restaurante com ambiente familiar e sem luxos, mas com comida excelente.

No cardápio, é obrigatório pedir o bolinho de siri e o pastel de camarão de entrada, além das ovas de tainha fritas. De principal, sugiro a tainha escalada, linguado ao molho de camarão e o ensopado de berbigão.

Rua Antônio Adão Dias, 147, Sambaqui, Florianópolis-SC.

Fonte: CNN Brasil – Fred Sabbag – colaboração para o Viagem & Gastronomia.

Nenhum comentário

7 dicas para aumentar o valor do seu imóvel e torná-lo mais atrativo para os compradores

Especialistas revelam ações para tomar antes de colocar sua residência à venda e receber visitantes interessados.

Colocar um imóvel no mercado pode ser um processo um pouco complexo. E primeira questão que surge é: o que posso fazer para agregar mais valor a propriedade e torná-la mais atrativa para os compradores? Alguns apostam em reformas simples, como a pintura das paredes ou uma renovação da mobília, caso a intenção seja vender a casa toda equipada, mas existem outras dicas preciosas para colocar em prática.

Como explica Gabriela Marques, gerente executiva de vendas da Lello Imóveis, na hora da visita de um comprador interessado, o primeiro passo é deixar o imóvel limpo e bem organizado, e a dica é evitar a personalização, ou seja, reduzir o número de itens pessoais, artigos religiosos e outros objetos relacionados, deixando o ambiente mais impessoal.

Outra indicação é evitar a presença de animais domésticos. Neste momento, o ideal é deixá-los em um lugar reservado onde não interfira na visitação, já que eles podem estranhar ou gerar agitação.

“Vale apostar também em aromas agradáveis para ajudar a criar um ambiente aconchegante, mas lembre-se de não exagerar”, comenta a profissional, que complementa: “apostar em algumas peças-chaves de decoração, como espelhos em ambientes pequenos também pode valorizar diversos espaços da propriedade”.

Confira abaixo sete dicas dos especialistas que exemplificam os pontos citados acima!

1. Pinte toda a casa com cores neutras e modernas
Pode parecer óbvio, mas a pintura da casa é um dos elementos que mais valoriza o ambiente e ajuda até a deixar o imóvel mais limpo.

Recuperar aqueles cantinhos mais desgastados deixa o lar com jeito de novo, principalmente investindo em cores para renovar os ares. Entretanto, Ricardo Martins alerta: essa não é a hora de extrapolar com, o ideal é investir em cores neutras, não muito marcantes, que não assustem o comprador ou gere um desconforto na aparência do imóvel.

2. Livre-se dos resquícios de infiltrações já resolvidas
“Problemas estruturais devem ser arrumados ou apresentados claramente para os interessados. Já na condição de consertados, é imprescindível sumir com as ‘marcas de guerra’, após a reforma. “Duas demãos fazem milagres”, comenta o corretor.

Lembre-se: o interessado está ali para avaliar a situação do imóvel, quanto menos danificado, mais valor o imóvel terá perante os olhos de quem quer adquirí-lo.

3. Atenção à iluminação
Lâmpadas velhas, que não estejam funcionando corretamente, ou que criem ambientes escuros, devem ser substituídas imediatamente, já que a iluminação faz toda a diferença! Atenção também para qual tipo de luz utilizar em cada ambiente. “Não é à toa que a fotografia é uma categoria do Oscar. Naquele contexto, significa ‘desenho de luz’, e isso demonstra a importância de uma boa iluminação”, enfatiza Ricardo.

4. Invista no paisagismo
Se seu imóvel possuir uma área verde, com certeza o paisagismo é um dos elementos mais importantes e relevantes. Então, um belo jardim ou viveiro vai encantar os compradores e valorizar sua residência. “Mantenha árvores e gramados podados e caso haja irrigação automática, garanta que ela esteja funcionando bem”, aconselha o influenciador.

5. Faça a manutenção de armários e pisos
“Vale uma atenção especial ao estado dos móveis, principalmente aos armários. Os clientes costumam pedir para avaliá-los internamente e com detalhes”, explica a executiva da Lello Imóveis. Defeitos são desanimadores em qualquer visita, principalmente para compradores ansiosos em conhecer o local, mas ao chegar se deparam com pequenos reparos que podem dar dor de cabeça.

Além disso, Ricardo explica que muitos visitantes adoram focar em pontos negativos, já que dessa forma fica mais fácil obter descontos ou serem mais irredutíveis na negociação.

6. Cuide da área de lazer e dos diferenciais do imóvel
Se a descrição do imóvel indica uma piscina com aquecimento, você deve se certificar de ter tudo funcionando adequadamente no momento da visita do futuro proprietário. “A linha entre uma piscina que promove lazer e um espaço que foi desperdiçado é tênue. A casa de máquinas precisa dar conta de manter a temperatura pretendida em qualquer época do ano, bem como nas tubulações de dentro da casa. Não é frescura, é importante”, exemplifica o corretor.

Assim, diferenciais como varanda gourmet, sauna, spa e hidromassagem devem estar em ótimas condições. “Cuide para que tudo esteja funcionando bem e crie cenas, se possível, para encantar ainda mais seu visitante. Seu imóvel precisa ser um refúgio para diversão e isso muda o jogo da negociação. Utilize o que tem e aumente a percepção de requinte e valor”, finaliza.

7. Atenção extrema à organização
Se tratando da organização, Gabriela Marques tem o roteiro. “Primeiro, evite deixar brinquedos e outros itens espalhados, roupas no varal, louça suja na pia… Isso tudo é básico. Cheiros nos banheiros ou odores desagradáveis pela casa ou pelo apartamento podem ser um problema muito sério e comprometedor a visitação. Procure deixar todos os ambientes arejado e em casos de imóveis fechados, o ideal é chegar antes para abrir todas as janelas e garantir a ventilação.” Anotou?

Fonte: casavogue.globo.com

Nenhum comentário

Aeroporto de Florianópolis é eleito o melhor do Brasil.

Em cerimônia realizada na manhã desta segunda (28), em Brasília, o prêmio “Aviação + Brasil 2022” reconheceu os melhores aeroportos e empresas aéreas brasileiras de acordo com os passageiros. Entre os critérios, foram analisados a pontualidade, a acessibilidade e a satisfação dos usuários. A iniciativa é do Ministério da Infraestrutura (MInfra), por meio da Secretaria Nacional de Aviação Civil, e da Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero). O prêmio existe desde 2015, mas não aconteceu ano passado devido à pandemia.

Foram avaliados 61 aeroportos e 5 empresas aéreas, em mais de 50 mil entrevistas com passageiros em todo o Brasil, ouvidos ao longo de 2021. Pesquisa de Satisfação dos Passageiros conduzida pela SAC/MInfra, ainda analisou 94 práticas de acessibilidade, assim como 923 mil movimentações de pouso e decolagens para verificação da pontualidade. Aqueles voos que saíram 15 minutos antes ou depois do horário marcado foram considerados pontuais. O secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Saggioro Glanzmann , afirmou que 92% dos entrevistados classificaram os aeroportos nacionais brasileiros como bons ou ótimos e 85% dos aeroportos regionais também como bons ou ótimos. Além disso, 80% dos voos analisados cumpriram com o critério de pontualidade.

Neste ano, foram distribuídos 17 prêmios. Veja os vencedores:
• Melhor Aeroporto Regional do Sudeste: Montes Claros (MG);
• Melhor Aeroporto Regional do Sul: Cascavel (PR);
• Melhor Aeroporto Regional do Centro-Oeste/Norte: Macapá (AP);
• Melhor Aeroporto Regional do Nordeste: Campina Grande (PB);
• Melhor Aeroporto Regional do Brasil: Cascavel (PR).

• Aeroporto Nacional com maior satisfação entre os passageiros (terminais que recebem entre 1,5 e 5 milhões de passageiros): Florianópolis (SC).

• Melhor aeroporto do Brasil na opinião dos passageiros: Florianópolis (SC).

Fonte: UOL • Imagem: Reprodução/Floripa Airport

Nenhum comentário

Alguns passeios para conhecer Florianópolis

Para celebrarmos juntos os 349 anos de Florianópolis.

No dia 23 de março é comemorado o aniversário de Florianópolis, uma das capitais mais visitadas do Brasil. A “Ilha da Magia” é repleta de passeios e paisagens naturais que encantam turistas brasileiros e de outros países.

 

• Ponte Hercílio Luz

Cartão postal de Florianópolis, a Ponte Hercílio Luz é um patrimônio histórico, artístico e arquitetônico da cidade, com tombamento em três níveis: municipal, estadual e federal. Aos sábados e domingos, o uso é exclusivo para pedestres, o que possibilita passeios tranquilos com a família e belos registros.

 

• Mercado Público Municipal

Valorizado como patrimônio artístico, histórico e arquitetônico de Florianópolis, o Mercado Público é um dos principais pontos turísticos da cidade. Além de apreciar a arquitetura e história do local, também é possível provar os petiscos e bebidas de boteco, que fazem do lugar o melhor happy hour da cidade.

 

• Vilarejos açorianos

Esse é um dos passeios preferidos de quem mora ou visita Florianópolis. Os lugares preservam a arquitetura com traços açorianos, um atrativo para quem gosta de história e cultura.

Santo Antônio de Lisboa: é um lugar artístico e bucólico, um dos primeiros povoados açorianos da ilha. Além do artesanato, o local é repleto de restaurantes típicos com vista para o mar.

Ribeirão da Ilha: é o maior pólo de cultivo de ostras da cidade e um centro gastronômico. A maioria dos restaurantes têm decks ou píers que avançam mar adentro.

 

• Morro da Cruz

O Morro da Cruz é um dos melhores pontos para se contemplar uma vista panorâmica de Florianópolis, permitindo uma visão privilegiada das duas baías, das pontes que ligam a ilha ao continente e dos bairros na região continental. De fácil acesso, com trajeto asfaltado até o topo, apesar de ser possível ir de bicicleta ou caminhando, o mais indicado é que se realize a subida com algum veículo.

 

• Praias

As praias do Norte são, no geral, mais calmas. Além disso, a água é mais quente do que as demais e são as mais urbanizadas, com uma estrutura mais completa. Ondas e um aspecto mais selvagem são características das praias do Leste da ilha. Já as praias do Sul, com exceção do Campeche, têm uma ocupação mais rústica, sem grande exploração imobiliária. As praias voltadas para o continente, em contrapartida, não costumam ser usadas para banho. A exceção é a Daniela, considerada uma praia do Norte.

 

• Costa da Lagoa

Para chegar até a Costa da Lagoa você tem duas opções: barco ou por uma trilha de uma hora. Você vai atravessar a Lagoa da Conceição até um povoado isolado. A vista é sensacional! Barcos de madeira levam até lá, onde você pode escolher um dos restaurantes locais com mesas nos decks.

Há dois pontos de embarque: no Parque Florestal Rio Vermelho, entre as praias da Barra da Lagoa e de Moçambique ou no centrinho da Lagoa da Conceição, ao pé da ponte. As embarcações saem de hora em hora nos dias de semana e de meia em meia hora no fim de semana.

 

• Fortalezas

Por ser uma ilha, Florianópolis conserva uma série de Fortalezas históricas que são abertas ao público. A Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, próxima ao continente, possui a melhor estrutura para receber visitantes. É uma das principais paradas dos passeios de barco pirata que saem de Canasvieiras. A Fortaleza de Santo Antônio de Ratones tem seis edificações restauradas, duas ruínas e uma fonte. O acesso também é feito somente pelo mar. Já a Fortaleza de São José da Ponta Grossa é a única que oferece acesso por terra: fica no caminho de Jurerê à Praia do Forte. Lá, você pode visitar a Casa do Comandante, onde há uma exposição de fotos sobre o dia a dia da fortaleza quando estava em uso.

Nenhum comentário

Como o plano diretor impacta o centro de Floripa?

A última revisão do Plano Diretor, aprovado em 2014, trouxe diversos gargalos e inseguranças jurídicas, transformando Florianópolis em uma cidade que cresce cheia de irregularidades.

Uma revisão nos erros e inseguranças da execução da lei é necessária e urgente. Florianópolis possui que diferem em tamanho de andares e percentual de potencial construtivo na ocupação do terreno e até mesmo em quais atividades comerciais podem Ein TRT e

Hoje vamos analisar como a revisão do plano diretor impacta a região central da nossa cidade.

O centro de Florianópolis está constituído majoritariamente pelos seguintes Zoneamentos:

Área Mista Central (AMC) – De alta densidade, complexidade e miscigenação, destinada a usos residenciais, comerciais e de serviços. Número potencial de andares: 12 a 16.

Área Residencial Mista (ARM) – Caracterizada pela predominância da função residencial, complementada por usos comerciais e de serviços. Número potencial de andares: 3 a 12.

Área Comunitária Institucional (ACI) – São áreas destinadas aos equipamentos comunitários ou institucionais, necessários à garantia do funcionamento dos demais usos urbanos e ao bem-estar da população, como creches, UPAs etc.

Área Verde de Lazer (AVL) – São os espaços urbanos ao ar livre de uso e domínio público que se destinam à prática de atividades de lazer e recreação, privilegiando quando possível a criação ou a preservação da cobertura vegetal.

 

Porque é importante buscar maior adensamento na região central?

É lá onde se concentra maior oferta de trabalho e equipamentos públicos – É interessante que mais pessoas possam morar mais próximo do trabalho, das escolas e postos de saúde. Isso ajuda a reduzir o deslocamento por automóvel e promove uma cidade mais caminhável.

É um local que possui maior infraestrutura – Corremos menos risco de danos ambientais por ligações irregulares de saneamento básico, por exemplo.

Maior fluxo de pessoas em diversos horários – Característica do uso misto que mescla o uso comercial e residencial do imóvel, acaba promovendo indiretamente mais segurança pública e mais opções de lazer.

 

AMC e ARM, zoneamentos já com maior característica de adensamento, ganham algumas possibilidades com a revisão como:

• Incentivo à fachada ativa – 100% de aproveitamento do terreno (era de 80%) para o térreo e primeiro andar desde que o imóvel possua fachada ativa (aqueles que promovem uma conexão com a rua como um passeio público).

• Simplificações quanto aos afastamentos e tamanho dos passeios – Levando em consideração a projeção da edificação e não uma fórmula fixa que suscitava muitos problemas quando aplicada individualmente, embora ainda esteja excessivamente normatizada.

• Maior possibilidade para terrenos atingidos por vias projetadas – A área atingida pela ampliação do sistema viário dará direito ao proprietário de utilizar o índice correspondente para a edificação ou alienar, mediante escritura pública, área equivalente ao potencial construtivo não utilizado.

• A dispensa de exigência de vagas de estacionamento em uma série de situações – Incentiva o uso de outros modais de transporte que não o carro individual.

 

Uma discussão que infelizmente continuará trazendo dificuldades é o estabelecimento de dimensões mínimas para os lotes que, no parcelamento, são obrigados a destinar um percentual para AVLs, o que muitas vezes geram áreas públicas abandonadas ou mal aproveitadas por causa da localização e/ou dimensão. Isso pode gerar um custo significativo.

Dimensões mínimas estabelecidas para AClIs (500m?) também podem impedir boas iniciativas para a comunidade.

De forma geral, vejo a revisão como favorável para a região central da cidade, embora seja necessário revisar a redação para que a segurança jurídica impere e possamos trazer outros debates importantes como maior transparência e agilidade para as áreas de patrimônio histórico e cultural.

Além de facilitar mais parcerias com a iniciativa privada para melhoramentos de infraestrutura e lazer. Não esquecendo de cobrar os contratos dentro dos Planos integrados ao Plano Diretor de Mobilidade, Saneamento e Meio Ambiente e Resíduos e Sólidos.

Nenhum comentário

As 10 cidades com maior valorização imobiliária.

Entre os municípios com maior valorização, metade está localizada no litoral catarinense.

Pensando em comprar uma casa em 2022? Saiba que os imóveis residenciais sofreram a maior valorização em sete anos, de acordo com o Índice FipeZap.

O indicador encerrou 2021 com alta acumulada de 5,29% – o maior avanço desde 2014, período em que os preços das residências apresentaram uma elevação de 6,70% ao ano.

Embora a alta no preço dos imóveis em nível nacional tenha ficado abaixo da inflação no ano passado, 14 cidades, entre as 50 analisadas, superaram os 10,06% medidos pelo IPCA.

Entre os municípios com maior valorização, metade está localizada no litoral catarinense. Confira a relação completa:

  1. Itajaí (SC): +23,77%
  2. Itapema (SC): +23,57%
  3. Balneário Camboriú (SC): +21,21%
  4. Vila Velha (ES): +20,24%
  5. Vitória (ES): +19,86%
  6. Maceió (AL): +18,50%
  7. São José (SC): +18,16%
  8. Florianópolis (SC): +15,74%
  9. Curitiba (PR) +15,41%
  10. Goiânia (GO) 13,70%

O Índice FipeZap também determinou o valor médio do metro quadrado dos imóveis residenciais. O cálculo foi feito com base na amostra de anúncios em dezembro de 2021.

No cenário nacional, o preço médio das residências foi de R$ 7.874 por metro quadrado. Abaixo as cidades com maiores valores:

  1. São Paulo (SP): R$ 9.708 por m²
  2. Rio de Janeiro (RJ): R$ 9.650 por m²
  3. Balneário Camboriú (SC): R$ 9.358 por m²
  4. Itapema (SC): R$ 8.856 por m²
  5. Brasília (DF): R$ 8.788 por m²
  6. Florianópolis (SC): R$ 8.582 por m²
  7. Vitória (ES): R$ 8.562 por m²
  8. Itajaí (SC): R$ 7.909 por m²
  9. Barueri (SP): R$ 7.748 por m²
  10. Curitiba (PR): R$ 7.518 por m²

Fonte: moneytimes.com.br

Nenhum comentário

Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia

Quem visita a capital catarinense não resiste ao sabor de uma boa tainha, escalada ou feita de outras maneiras, de uma anchova ou de outros peixes da região. E o que dizer das ostras, do camarão, do siri, do berbigão e do marisco, abençoados frutos do mar que provocam as mais deliciosas sensações em nossos paladares?

 

 

A UNESCO provou e aprovou todo esse sabor manezinho. Agraciou a capital catarinense com o título de “Cidade Criativa na área de Gastronomia”. Florianópolis  é a primeira cidade brasileira a integrar um seleto grupo de 69 cidades da Rede Mundial de Cidades Criativas da UNESCO, que reconhecem e apóia a criatividade como estratégia impulsionadora do desenvolvimento sustentável, por meio de parcerias mundiais.

Nenhum comentário

Porque Florianópolis?

O investimento no mercado imobiliário é uma prática tradicional e ainda altamente rentável, não só no cenário brasileiro como mundial. Mesmo com o baixo crescimento dos últimos anos e ainda se reerguendo da crise gerada pela pandemia, investir em imóveis significa segurança com pequena, média ou alta liquidez.

 

Ascensão em Florianópolis

Neste cenário, Florianópolis desponta como uma das melhores cidades do país para investimento, isso porque a cidade é vista como um dos principais pontos turísticos do Brasil, e têm recebido diversos prêmios e menções. Florianópolis é uma das poucas cidades analisadas no país que fecharam os últimos anos com alta no preço de venda de imóveis residenciais.

Na última década, houve também um aumento de 33% no número de habitantes em Florianópolis, maior índice entre as capitais brasileiras. Cada vez mais, empresários e corporações escolhem a ilha como o cenário para negócios de sucesso, seja no âmbito residencial ou comercial.

Alta procura

Tranquilidade, qualidade de vida e as belezas naturais da ilha sempre foram um convite irrecusável para visitantes de todo o mundo, principalmente no período do verão, que corresponde à época de férias. Porém, é fora da temporada que os números se destacam para quem deseja investir em imóveis na cidade. O constante crescimento do moradores na região e consequentemente o aumento da procura por imóveis são outros dois pontos favoráveis para quem deseja investir localmente.

 

Poder aquisitivo

A capital catarinense ainda se destaca pelo alto poder aquisitivo da população, segundo o IBGE,a renda mensal média é de 4,7 salários-mínimos. Além disso, Florianópolis é a cidade com mais alto IDH do Brasil. A presença das principais universidades do Estado, as variadas opções de lazer, estudo e a proposta de estilo de vida leve e descontraído faz da cidade uma das mais procuradas para a vida ao ar livre numa capital descolada e moderna.